Dicas Essenciais para uma Hipertrofia Saudável
27 de fevereiro de 2018
Aprenda a emagrecer sem passar fome
26 de abril de 2018
Exibir tudo

Saiba quais são os prós e contras do Jejum Intermitente

O jejum intermitente não é uma dieta, mas um cronograma alimentar. Nele, são intercalados dias em que há restrição calórica extrema e dias de alimentação normal. Esse método pretende fazer com que o corpo utilize seus estoques de gordura, contribuindo para a perda de peso em longo prazo. Para obter sucesso com este procedimento, algumas atitudes descritas abaixo devem ser tomadas.

AGENDE UMA CONSULTA

Verificar o ritmo alimentar

O jejum intermitente possui protocolos que estabelecem quanto tempo a pessoa deve ficar sem ingerir alimentos. O período de sono conta como jejum e os protocolos mais comuns envolvem intervalos, ou janelas, de 12 horas, 16/8 horas e 24 horas.

O primeiro estipula que o indivíduo deve ficar 12 horas sem se alimentar, seguindo 12 horas de alimentação normal. O segundo afirma que, após 16 horas sem ingerir alimentos, há uma janela de 8 horas, quando devem ocorrer as refeições. No protocolo de 24 horas, o indivíduo realiza apenas uma refeição por dia, sendo a próxima realizada no mesmo horário do dia seguinte. As refeições realizadas nas “janelas” devem ser ricas em nutrientes, independente do protocolo escolhido.

 

Verificar o metabolismo basal

A taxa metabólica basal é utilizada na avaliação do gasto de energia corporal. Ela é a quantidade de energia que o organismo gasta em um dia para manter suas atividades básicas. Elevá-la significa gastar mais energia para realizar o mesmo esforço, facilitando o processo de emagrecimento.

Permanecer em jejum por um tempo prolongado pode prejudicar o processo de emagrecimento. Quando a ingestão de calorias é reduzida de forma excessiva, o organismo passa a economizar energia, reduzindo a queima das mesmas.

 

Verificar o excesso de insulina

O excesso de insulina leva à obesidade. Ao ingerir alimentos, os níveis de insulina aumentam e o organismo passa a armazenar energia. Durante o jejum, a concentração de insulina diminui e o organismo utiliza a energia armazenada previamente. Dessa forma, o acúmulo de insulina leva o corpo a desenvolver resistência a esse hormônio, produzindo-o em maior quantidade. O jejum melhora a sensibilidade à insulina, interrompendo sua produção e estimulando o organismo a utilizar o que já foi produzido.

 

Como qualquer método de emagrecimento, o jejum intermitente possui consequências, benéficas ou não. Nem todos podem aderir a este método, uma vez que cada indivíduo possui características únicas. De maneira geral, a prática do jejum intermitente deve ser orientada por médicos ou nutricionistas, que indicarão a aplicação ideal para cada realidade. Os especialistas indicarão o protocolo, a periodicidade e a dieta mais adequada para acompanhar a técnica. A orientação visa garantir o emagrecimento e a manutenção da saúde.

A prática realizada sem orientação médica pode causar insônia, alterações hormonais e metabólicas, surgimento de acne e, em mulheres, mudanças no ciclo menstrual. Também pode ocasionar distração, falta de concentração e irritação. Os prós e contras do jejum intermitente devem ser analisados com cautela, sob orientação profissional, antes da realização da prática.

Vale ressaltar que o método não é indicado para crianças, gestantes, diabéticos, pessoas que realizam tratamentos médicos ou usam medicamentos contínuos.

AGENDE UMA CONSULTA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *